RESGATE HISTÓRICO
Ubatuba prepara evento em homenagem aos imigrantes japoneses presos na Ilha Anchieta

Nesta quinta-feira, 13 de julho, começaram os planejamentos para o “Dia em homenagem aos imigrantes japoneses presos na Ilha Anchieta”.

A reunião para as discussões iniciais do evento, que ocorrerá no dia 23 de setembro em Ubatuba, foi realizada na sede do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), no bairro da Liberdade, em São Paulo.

O encontro ocorreu duas semanas após a aprovação na Câmara de Ubatuba do projeto de lei 53/17, que instituiu no calendário da cidade uma nova data comemorativa: o dia 23 de setembro como “Dia em homenagem aos imigrantes japoneses presos na Ilha Anchieta”.

Estiveram presentes na reunião alguns dos entusiastas da instituição da data, como Melisa Sakamoto e família, do projeto Caravelas, Mario Okuhara, do projeto Abrangências, Samuel Messias de Oliveira e Mara de Oliveira, membros da Associação Filhos da Ilha, além do prefeito de Ubatuba, Délcio Sato (PSD), o secretário de turismo, Luiz Antonio Bischof, o autor do projeto de lei, vereador Osmar de Souza (PSD), a gestora interina do parque, Giseli Areias Nóbrega, e a coordenadora de comunicação do Bunkyo, Célia Abe Oi.

 

 

Entre as sugestões levantadas estão a exposição na ilha Anchieta de um antigo gerador do tempo em que os japoneses estiveram no presídio (final dos anos 40). O gerador, que na época foi mantido pelos então prisioneiros Fusatoshi Yamauchi e Massao Honke, se encontra guardado e seria exposto na própria ilha, em local a ser definido. Outra proposta é a colocação de uma placa explicativa sobre a história dos japoneses na ilha.

Não eram presos comuns. Dos quase 150 que ficaram detidos na ilha, muitos eram inocentes, conforme matéria publicada no InforMar Ubatuba. (Clique para ler a matéria completa e ouvir entrevista com o documentarista Mario Okuhara)

Foi marcada uma nova reunião para a semana que vem, em Ubatuba, para que seja feita uma vistoria na ilha Anchieta, a fim de definir uma proposta a ser apresentada ao Parque Estadual Ilha Anchieta (PEIA) sobre o local e a forma em que ficariam expostos o gerador e a placa. A Associação Nipo Brasileira de Ubatuba (Anibra) será convidada a participar.

A gestora interina informou que o conteúdo da placa e a exposição do gerador deverão ser previamente aprovados pela Fundação Florestal, responsável pelo PEIA. A prefeitura de Ubatuba se comprometeu a confeccionar a placa.

O tenente Samuel Messias de Oliveira, da Associação pró-resgate histórico da Ilha Anchieta e dos filhos da ilha, sugeriu uma trilha com os visitantes no dia 23 de setembro, passando pelo gerador, pela usina, pela bica Shindo Renmei e pela praia das Palmas, onde segundo o tenente os japoneses faziam um culto matinal voltado ao sol nascente. Melisa Sakamoto sugeriu a confecção de um mangá (história em quadrinhos no estilo japonês) que resgate a memória dos imigrantes de forma lúdica.

 

 

Após essas discussões, os participantes se dirigiram à sala da presidente do Bunkyo, Harumi Arashiro Goya, que entregou ao prefeito de Ubatuba uma placa de homenagem.

110 anos da imigração japonesa

Em 2018, serão realizados diversos eventos em comemoração aos 110 anos da chegada dos primeiros imigrantes japoneses ao Brasil. A família imperial estará no país e foi sugerido na reunião que seja feito um convite para uma visita à Ubatuba. Segundo Célia Abe Oi, o assunto será conversado diretamente com o Consulado Geral do Japão em São Paulo.

Para o ano que vem, o prefeito de Ubatuba sugeriu que sejam unificadas as comemorações do já tradicional Festival da Cultura Japonesa, que normalmente ocorre em junho, com o Dia em homenagem aos imigrantes presos na ilha. A ideia seria promover uma semana intensa de atividades relacionadas à cultura nipônica.