FUNDAÇÃO FLORESTAL
Salles demite gestor da APA Marinha do Litoral Norte

Pedro Barboza Oliva não é mais gestor da Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Norte (APAMLN) e Área de Relevante Interesse Ecológico de São Sebastião (ARIESS). A informação ainda não foi divulgada no site da Fundação Florestal (FF), órgão que administra essas Unidades de Conservação (UC). Sem maiores explicações, uma portaria publicada no Diário Oficial de ontem (24 de março) designa Carlos Zacchi Neto para responder pelo expediente das Unidades. Zacchi acumulará o cargo com o de Diretor da FF do Litoral Norte, Baixada Santista e Mantiqueira, que já ocupava antes da nova nomeação.

Pedro Oliva, funcionário de carreira concursado da Fundação, ocupava o cargo de gestor da APA Marinha desde 2015 e coordenava o processo de elaboração do Plano de Manejo da Unidade de Conservação.

A troca de gestão da APAMLN ocorre após a paralisação repentina do processo de elaboração de Planos de Manejos dessa e de outras UCs por ordem do secretário estadual do Meio Ambiente, Ricardo Salles (PP), um ferrenho opositor dos posicionamentos de ambientalistas e cientistas (a quem se refere como “os queridinhos da academia”), com histórico de maior proximidade com os setores de barcos de luxo, da construção e da indústria.

Na semana passada, membros do Conselho Gestor da APAMLN e ARIESS protocolaram na Secretaria de Meio Ambiente uma carta direcionada a Salles, questionando a paralisação dos Planos de Manejo. Quem assina o texto são pessoas ligadas a órgãos públicos (como Ibama e Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo) e organizações da sociedade civil de Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilha Bela (como associações de pescadores, maricultores, esportistas e outras).

Na última terça-feira (21), em reunião do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema), o conselheiro Roberto Francine levantou diversas críticas à atual gestão da Secretaria citando, entre outras coisas, a carta escrita pelos conselheiros. Salles rebateu defendendo que a SMA gastou milhões com consutorias para elaboração de planos de manejo que, para ele, são de péssima qualidade.

Salles é investigado pelo Ministério Público (MP) por improbidade administrativa, acusado de alterar mapas de zoneamento do Plano de Manejo da APA da Várzea do Rio Tietê em favor da Federação das Indústrias (Fiesp), conforme revelou reportagem do jornal Estadão publicada há um mês.

Nesta sexta-feira (24), o mesmo jornal publicou que o Ministério Público de São Paulo abriu um segundo inquérito também para investigar possíveis atos de improbidade administrativa do secretário. O motivo dessa vez é um chamamento público de interessados na venda ou concessão de 34 áreas do Instituto Florestal, como estações experimentais, florestas e hortos.

MUDANÇAS NO MAR E NA FLORESTA

Pedro não é o primeiro gestor de Unidade de Conservação de Ubatuba a ser demitido em menos de dois meses. No dia 1º de fevereiro, o gestor do Parque Estadual da Serra do Mar Núcleo Picinguaba, Danilo Santos da Silva, foi exonerado. Na mesma semana, Cláudia Camila Faria de Oliveira foi designada para responder pelo expediente do Parque.