GAIVOTA JAZZ
Música e cultura nas ondas do rádio

Em meados de 2016, Bruno Miranda conheceu, por mero acaso, Mauro Lauro e Felipe Fonseca, dois dos mantenedores da Rádio Cultural Comunitária Gaivota FM. Bruno já acompanhava a programação da Gaivota FM desde 2014, quando se mudou para Ubatuba, e embora tivesse a rádio como sua favorita na cidade, ainda assim sentia falta do jazz e outros estilos na programação. Ao se tornar amigo de Mauro Lauro, com quem inclusive tem hoje uma banda, decidiu se voluntariar a aprender o ofício de radialista e fazer um programa experimental. A proposta foi aceita pela Gaivota FM, que cedeu o espaço para o Gaivota Jazz.

Em 24 de Novembro de 2016 o primeiro Gaivota Jazz foi ao ar, ao vivo, sempre no horário das quintas-feiras às 20 horas. Desde então, o programa é apresentado todas as semanas neste horário, sem exceções. Já são mais de 20 edições ao longo de pouco mais de 5 meses. Bruno destaca a importância de uma disciplina para manter voluntariamente o programa no ar sem “furos” e sempre com novidades: “O Gaivota Jazz conta com poucos apoiadores culturais e ainda tem uma audiência restrita. São ‘poucos e bons’ os que acompanham o programa. Mas é sempre surpreendente descobrir que tem gente ouvindo. Já tenho ouvintes até em outros países. É o que me motiva a continuar.”

PROGRAMA, CONTEÚDO E PAPEL SOCIAL

A proposta do Gaivota Jazz não é transmitir apenas o jazz convencional, mas sim dar espaço a uma gama de estilos musicais que normalmente não têm grande espaço na programação das rádios. Assim, além do jazz tradicional, é fácil ouvir no programa ritmos brasileiros como chorinho e bossa nova, música instrumental de todo o mundo, trilhas sonoras, tango, músicas francesas, africanas, latinas e muito mais. “Pode apostar que tem sempre uma surpresa na programação!”, garante Bruno.

Foto: Marina Seferian

Além disso, o programa ainda traz informes culturais, como dicas de eventos independentes, e também realiza ocasionalmente entrevistas, lançamentos de discos e apresentações ao vivo direto do estúdio da Gaivota FM. Em um clima descontraído, Bruno recebe artistas e amigos no estúdio para entrevistas e promove interpretações ao vivo: “Já discutimos cinema ouvindo trilhas sonoras autorais e, recentemente, tivemos até uma jam session com participação de um músico local e um casal de amigos argentinos. O improviso e o apoio ao artista, principalmente ao artista independente, são marcas do Gaivota Jazz. Eu quis fazer um programa livre, que soasse diferente, que trouxesse aquela espontaneidade perdida e desse espaço ao que não tem espaço.”