MATA ATLÂNTICA
Instituto da Árvore planta mudas frutíferas no Fórum de Ubatuba

A área externa do Fórum de Ubatuba está mais arborizada. Na sexta-feira, 28 de julho, foram plantadas vinte mudas de espécies frutíferas nativas da Mata Atlântica no gramado do entorno do prédio. As mudas foram doadas pelo Instituto da Árvore (IA) e produzidas a partir do Projeto Viveiro IA, patrocinado pela Petrobras.

“A gente trouxe araçá vermelho, ameixa nativa, grumixama, uvaia, cambucá, cabeludinha, juçara e tarumã”, disse a engenheira florestal e coordenadora do projeto Viveiro IA, Yara Defavari. Segundo ela, as espécies foram selecionadas considerando o ambiente, o que já estava plantado, o solo e as condições de sol e sombra. O próprio Fórum solicitou que todas as espécies fossem frutíferas.

O capoeirista e colaborador do IA, Emanuel Ramos, e o viveirista do instituto, senhor Luiz Claro, prepararam o local e abriram as covas que receberam as mudas. Oito jovens de 11 a 17 anos que participam da capoeira no instituto realizaram o plantio junto com funcionários do Fórum. Foi o caso de Ryan Andrade Cardoso, 12 anos, morador do Perequê-Açú. Ele disse que achou muito bom e fácil plantar as mudas. Outro jovem que participou foi João Pedro Lanzilotti, 14 anos, que frequenta a capoeira desde os 10. “As frutas vão servir de alimento para as pessoas, os pássaros e outros animais”, lembrou ele, que contou ter plantado mudas de tarumã e uvaia.

Os próprios funcionários do Fórum cuidarão das mudas para que elas cresçam e se desenvolvam. Eles receberam do IA uma ficha com informações sobre as espécies que plantaram e como cuidar delas.

Plantador veterano

O plantio entusiasmou de maneira especial o funcionário Eduardo Peres de Oliveira, 62 anos, vigia do Fórum de Ubatuba há 20 anos. Ele foi o responsável pela introdução de boa parte das árvores existentes na área externa do Fórum, de espécies como ingá-macaco, jaqueira, jambeiro, abacateiro, aroeira e araçá, muitas já grandes. “Quando viemos para cá, há 10 anos, não havia árvores, havia alguns coqueiros e o gramado. E acho que a melhor coisa que tem é plantar árvores frutíferas, que atraem insetos e pássaros, além de fazer sombra”, resumiu Oliveira. Animado, o plantador disse que no futuro espera ver a área externa do Fórum cheia de árvores como um parque, ou até um jardim botânico, que vai atrair muitos pássaros.

Projeto educativo e cultural no judiciário

O plantio fez parte da primeira ação do projeto cultural chamado “Artistas em Movimento – Despertando Sentimentos”, que acontece até dezembro no Fórum de Ubatuba. O projeto busca mudança de paradigmas, trazendo ao ambiente forense movimentos culturais que deixem o local mais leve e agradável aos funcionários e usuários.

O juiz diretor do Fórum de Ubatuba, Fabricio José Pinto Dias, acompanhou a estreia do projeto. Dias realizou o plantio de uma muda de araçá-vermelho, pela qual ficou responsável. “Esse tipo de iniciativa faz com que o ambiente forense fique um pouco mais leve, porque o Fórum sempre foi um local de angústia, sofrimento, dor. Iniciativas como essa só tem a enriquecer e tirar esse peso que o Fórum carrega”, disse o juiz diretor.

A responsável pelo projeto “Artistas em Movimento – Despertando Sentimentos” é a assistente social do Judiciário de Ubatuba, Marilu Mariano da Silva. Ela esclarece que o tribunal de Justiça já vem incluindo eventos culturais em diversos Fóruns do Estado de São Paulo. O que Silva fez foi trazer o projeto para o Fórum de Ubatuba. “A ideia é trazer essa parte cultural pro Fórum através da apresentação de jovens inseridos em projetos sociais e ao mesmo tempo apresentar para eles um ambiente novo, sobre um outro olhar, que seria o Fórum, o judiciário”, explica. Na visão de Marilu, “o jovem não tem que entender o judiciário apenas para estar lá como preso, como testemunha ou como réu, mas para conhecer o outro lado, das possibilidades do trabalho, de estudar mais, de ser um advogado, de prestar um concurso, de ter novas perspectivas na vida”.

Além do plantio das mudas, a estreia do projeto contou com um tour pelo interior do Fórum onde os jovens do IA puderam interagir com funcionários e aprender mais sobre o trabalho do poder judiciário. Depois, uma roda de capoeira agitou a área externa com a presença especial do Mestre Jequié (Mandinga), do Mestre Glauber do Centro Cultural Capoeira e do professor Izamilton (Ligeirinho).

Serviço
O Instituto da Árvore comercializa mudas de diversas espécies nativas. A sede e o viveiro ficam na Rua da Usina Velha, 593, Perequê-Açú. O telefone é 12-3832-5788.