Praça Dante Alighieri em Caxias do Sul

COLUNA OUTROS DESTINOS - SUSSUMO
Belas paisagens, clima agradável, gastronomia e os melhores vinhos na Serra Gaúcha

A Serra Gaúcha é uma região que foi colonizada por imigrantes alemães e posteriormente por italianos oriundos principalmente do norte da Itália, que ali desembarcaram em busca de novas oportunidades e das melhores terras onde pudessem desenvolver a princípio uma cultura de subsistência.

Contando à época com o incentivo do governo do Rio Grande do Sul,  que precisava ocupar o vazio deixado pelo fim da escravatura, foi graças a garra e ao trabalho desses imigrantes que esta região se tornou a maior produtora de vinhos do Brasil e um dos principais destinos turísticos de excelência no Brasil.

Vista do mirante da Vinícola FontanariVista parcial da região montanhosa de Bento Gonçalves a partir do mirante da Vinícola Casa Fontanari

Além das belíssimas paisagens com um agradável clima característico de regiões montanhosas, sua rica gastronomia regada a muito vinho é claro, aliada a uma excelente infraestrutura turística com hotéis para todos os gostos e bolsos, ótimos restaurantes, e a diversidade de atrações capazes de agradar tanto adultos quanto crianças, são os fatores que colocam esta região entre os melhores e mais procurados destinos turísticos do Brasil.

São 47 municípios que compõe a chamada Serra Gaúcha, sendo que algumas dessas cidades possuem uma economia que dependem majoritariamente do turismo.

 

CAXIAS DO SUL

A maior cidade desta região possui um aeroporto que é o segundo mais movimentado do estado do Rio Grande do Sul, com voos ligando a cidade aos principais centros do pais, pode ser a porta de entrada para o início de sua viagem.

Avião presidencial no Aeroporto de Caxias do SulAvião presidencial no aeroporto de Caxias do Sul – Hugo Cantergiani

O aeroporto regional de Caxias do Sul – Hugo Cantergiani, inaugurado em 1988 tem capacidade para até 600.000 passageiros/ano e é um dos mais movimentados aeroportos da região Sul, utilizado especialmente por turistas que visitam a Serra Gaúcha.

Em frente ao Aeroporto de Caxias do Sul, existem diversas empresas de locação de veículos. Minha sugestão é que você alugue um carro, o que irá facilitar muito o seu deslocamento entre as várias cidades e as visitas às atrações, mas se você prefere comodidade não se preocupe, existem diversas empresas que oferecem excursões e passeios programados.

Praça Dante Alighieri Praça Dante Alighieri, no centro de Caxias do Sul: uma fonte que jorra vinho (ou suco de uva) 

Catedral Santa Teresa D'AvilaIgreja Santa Teresa D’Avila em frente à praça Dante Alighieri

Réplica de Caxias do Sul de 1885

Junto ao parque de exposições, está um conjunto arquitetônico com 20 casas de madeira, construídas para homenagear o centenário da colonia italiana, onde você poderá ver como era a Catedral, o coreto, as ruas e avenidas que foram reproduzidas conforme características da época.

 

BENTO GONÇALVES

Famosa pelos vinhedos, em Bento Gonçalves são produzidos os melhores e mais conhecidos rótulos de vinhos e espumantes nacionais, uma herança e tradição trazida pelos imigrantes italianos, responsáveis pela colonização da região.

Igreja São Bento – Esta igreja em inusitada forma de pipa, é uma representação da vocação vitivinícola da cidade de Bento Gonçalves.

Além da arquitetura exterior, sua decoração interna remetem à temática da uva e do vinho. Dedicada a São Bento o ‘protetor dos vinhateiros’, a igreja tem 13,5m de altura e 22,5m de diâmetro e abriga até mil pessoas.

A cidade possui uma excelente infra-estrutura turística com bons hotéis e restaurantes, e a partir de Bento Gonçalves você tem acesso a diversas atrações que se espalham pela região.

Igreja Matriz Cristo Rei – Em estilo gótico moderno, seu vão interior possui 40 metros de altura e três altares.

A Igreja Cristo Rei levou cinco anos para ser construída, até sua inauguração em 14 de novembro de 1954, mesmo assim inacabada, somente em 1978 é que suas torres foram concluídas.

 

VALE DOS VINHEDOS EM BENTO GONÇALVES

A RS 444 também conhecida como a Estrada do vinho é uma região onde convivem lado a lado, pequenas propriedades rurais junto a grandes vinícolas cujas atividades representam o legado histórico, cultural e gastronômico trazidos pelos imigrantes italianos.

Os vinhos produzidos nesta região são os únicos no Brasil garantidos pela Aprovale e com a Denominação de Origem.

Distribuídos ao longo da estrada, cantinas familiares, hotéis, pousadas, restaurantes, oficinas de artes e armazéns com produtos típicos recebem os visitantes durante todo o ano para degustações, refeições ou simplesmente para contemplação das belezas encantadoras do Vale.

 

CAMINHO DE PEDRAS EM BENTO GONÇALVES

Estando em Bento Gonçalves, não deixe de visitar o Caminho de Pedras, um dos mais belos passeios pela Serra Gaúcha e que fica a pouco mais de 10 kms do centro da Cidade, na colônia São Pedro.

Caminho de pedras em Bento Gonçalves – a arquitetura trazida pelos colonizadores italianos aliada à paisagem lembram o norte da Italia.

 

Casa das cucas – um lugar onde você pode optar por uma cesta de pic nic e degustar nas mesas ao ar livre, além de outras delícias caseiras como pães, bolos, salames, geleias e queijos acompanhados por um bom vinho ou espumante da serra gaúcha.

O roteiro tem em torno de oito quilômetros e é um verdadeiro “museu ao ar livre”.

 

Casa da Ovelha – Um preservado casarão de 1917 é a porta de entrada para o parque das ovelhas, um local onde você poderá optar pela degustação de derivados de leite de ovelha, comprar lembrancinhas e visitar o parque onde é possível alimentar as ovelhas adultas, preparar mamadeiras  e amamentar os filhotes. Os ingressos são vendidos na lojinha do casarão.

 

Casa Angelo – Esta construção de 1889, antiga residência de um imigrante italiano, foi feita com pedras basalto de cor preta rejuntadas com uma mistura de feno, palha de trigo e estrume de vaca, hoje é um restaurante que serve pratos típicos da cozinha italiana.

As construções de pedra e madeira, os moinhos, teares,  a casa de ovelhas, a casa de erva-mate e os cenários lembram muito a região Norte da Itália.

 

Restaurante Nona Ludia – um casarão de 1880 foi a primeira casa restaurada pelo Projeto Cultural Caminhos de Pedra, hoje abriga um restaurante que serve um cardápio típico italiano.  Um enorme quintal onde redes para descanso ficam à disposição dos visitantes à sombra de um Umbu, uma árvore cujo tronco próximo à raiz formam uma pequena gruta que foi muito utilizada como abrigo provisório pelos imigrantes.

 

Casa da erva-mate – Este antigo moinho, foi transformado numa fabrica de produção artesanal do tradicional chimarrão gaúcho. Aqui é possível assistir o processo de produção artesanal com a erva sendo socado por um dispositivo movido com a força da roda d’água. A lojinha dispõe de produtos e acessórios para uso com a erva-mate.

 

Cantina Strapazzon – Esta casa de pedra construída em 1880, foi adaptada para uso como cantina (onde é feito e armazenado o vinho). Neste local foram filmadas algumas cenas do filme “O Quatrilho”. Além da degustação dos vinhos produzidos no local, uma lojinha dispõe de produtos típicos como pão, queijo, salame, copa, vinhos, suco de uva e outros.

Para os amantes da boa gastronomia, as cantinas e os estabelecimentos ao longo do caminho oferecem excelentes produtos coloniais, como queijos, salames, conservas, doces, sucos, geleias, biscoitos, massas e vinhos artesanais.

 

Vinícola Salvati e Sirena  – Ao longo do Caminho você encontra várias vinícolas e armazéns onde é possível comprar vinhos artesanais e produtos típicos produzidos artesanalmente.

Reserve pelo menos um dia para o passeio, pois são mais de 40 pontos para visitação que funcionam a partir das 9 até as 18 horas.  Um passeio único e inesquecível.

Matérias anteriores da coluna